quarta-feira, 12 de junho de 2019

9 ANO RESUMO PROVA DISCURSIVA



No que se refere à dimensão, a Ásia é o maior dos continentes e ocupa uma área de quase 44 milhões de km², ou cerca de 30% das terras emersas no planeta.

 Separa-se da África pelo oceano e também pelo canal de Suez, na Península do Sinai, onde fica a fronteira entre Egito (África e Ásia) e Israel (Ásia), e o Mar Vermelho.

A Austrália, mesmo sendo maior que a Nova Zelândia, não é considerada uma ilha e sim o menor continente do planeta.

A Oceania é  um  continente  composto  pela  Austrália,  considerada  uma  potência  continental  por  ter  a  maior economia e ocupar mais de 93% da área total, e pelos vários países insulares (ilhas).

 A Nova Zelândia é a maior e mais desenvolvida ilha da Oceania entre eles.

A Oceania é fragmentada em milhares de ilhas que se espalham pelos arquipélagos do Pacífico, além das extensões maiores representadas pela Austrália, Nova Zelândia e a parte oriental da ilha da Nova Guiné, onde se situa o país Papua Nova Guiné.

Na parte ocidental   de Papua Nova Guiné, fica a Indonésia, e a fronteira entre esses países é o marco divisório da Oceania com o continente asiático, já que a Indonésia é considerada parte da Ásia.
A Austrália e Nova Zelândia, formam a Australásia,

A Oceania pode ser regionalizada conforme a localização das ilhas e países que a compõem em três regiões:

A Melanésia, a Micronésia e a Polinésia todas elas se distribuem no Oceano Pacífico.

Relevo e hidrografia

A Eurásia formou-se, há cerca de 55 milhões de anos, da divisão de um supercontinente extinto denominado Laurásia.

A Eurásia foi formada a partir da divisão da Pangeia – LAURÁSIA - porção NORTE.

Na mesma época, a Índia, uma grande ilha, iniciava seu processo de colisão com a Eurásia,  formando a cordilheira do Himalaia e construindo o relevo acidentado da região meridional da Ásia.

A Oceania, formou-se divisão da Pangeia – GONDWANA - parte SUL.

Há cerca de 33 milhões de anos, a Austrália separava-se da Antártica, deslocando-se mais ao norte.
As ilhas de origem vulcânica dispersas pelo Pacífico são ainda mais jovens, com idade aproximada de 8 milhões de anos, e resultam da movimentação das várias Placas Tectônicas que formam o assoalho desse oceano.

OUTRAS FORMAS DE RELEVO DA ÁSIA E OCEANIA

PLANALTOS ANTIGOS

Planaltos antigos e erodidos pela ação do tempo no Irã, Mongólia e interior da Austrália;

Planaltos cobertos por rochas originadas de derrames de magma, como na Sibéria Central e no sul da Índia;

Planaltos soerguidos pela colisão de placas da litosfera, como o Planalto do Tibete, no oeste da China;

CADEIAS DE MONTANHAS

Cadeias de montanhas dispostas em sentido latitudinal, como os Pirineus, entre a França e Espanha (sudoeste da Europa);

Cadeias de montanhas dispostas em sentido longitudinal, como os Apeninos, na Itália; os Urais, na Rússia; os Alpes japoneses, no Japão; e a Grande Cordilheira Divisória, na Austrália;

Alpes, que se estendem da França até a Eslovênia, passando por diversos países no centro--sul do mesmo continente;

Cáucaso, no Azerbaijão, Geórgia, Rússia e Armênia, divisa entre Ásia e Europa;

Himalaia, no sul da Ásia.

Extensas planícies que se estendem por quase toda a região setentrional da Europa e da Ásia;

Depressões interiores drenadas por bacias hidrográficas endorreicas (que terminam no interior  dos  continentes)  no  entorno  dos  mares  Cáspio, Aral e Morto e no centro-leste da Austrália, na Grande Bacia Artesiana.

RELEVO E HIDROGRAFIA DA ÁSIA E EUROPA

Os planaltos mais antigos da Eurásia, são os originados em áreas de escudos cristalinos e de formações geológicas pré-cambrianas e, em alguns casos, sobre bacias sedimentares. 

Bacias sedimentares de antigos ambientes marinhos, pressionadas por forças tectônicas, desenvolveram condições favoráveis para a formação de petróleo.

As bacias sedimentares marinhas localizadas nos mares Negro e Cáspio, no Leste Europeu e Golfo Pérsico, que fica entre a Arábia Saudita e o Irã, no Oriente Médio, tem uma das principais jazidas petrolíferas e de gás natural do mundo.

RIOS E LAGOS DA ÁSIA E EUROPA

Grandes civilizações do passado se desenvolveram junto a importantes rios da Ásia e da Europa.

Entre cerca de 10 mil e 5 mil anos atrás, aproximadamente, muitas das superfícies planas que periodicamente eram inundadas por eles, principalmente no médio e baixo vales, transformaram-se em espaços de cultivo e domesticação de animais. 

Posteriormente, nesses mesmos locais, se desenvolveram sítios urbanos. 

Mesmo nos dias de hoje, importantes cidades europeias e asiáticas nasceram e cresceram nas margens de rios ou mesmo em ilhas fluviais.

Entre elas, destacam-se:

Europa:  Londres, capital do Reino Unido, às margens do Rio Tâmisa; Paris, capital da França, às margens do Rio Sena; as alemãs Hamburgo, no Rio Elba, e Colônia, no Reno;

Ásia: Bagdá, capital do Iraque, às margens do Rio Tigre; a indiana Calcutá, no Rio Ganges; a chinesa Nanquim, no Rio Yangtsé.

As mais altas e extensas cadeias de montanhas são também os principais divisores de bacias.
Nelas nascem rios que descem as encostas das cordilheiras.

Nos planaltos e planícies, suas águas se avolumam com a contribuição dos afluentes.

Os lagos europeus e asiáticos se localizam geralmente mais ao norte e têm, em sua maioria, origem glacial.
Com o recuo da glaciação após a última Idade do Gelo, finalizada há cerca de 20 mil anos, milhares de lagos se formaram da Irlanda à Sibéria.

A Suíça e  mais  ainda  a  Finlândia,  entre  outras  características,  são  conhecidas  pela  grande  quantidade  de  lagos  que se distribuem aos milhares por seus territórios.

A Rússia também apresenta grande quantidade de lagos de origem glacial, entre os quais, pela extensão, se destacam o Ladoga, com cerca de 18 mil km², e o Onega, com superfície de quase 10 mil km².

Há também lagos de origem tectônica, formados em falhas geológicas.

O mais extenso entre eles é o Bajkal, na região siberiana da Rússia.

O lago Bajkal tem mais de 30 mil km² e uma profundidade superior a 1 600 metros;

O lago Bajkal se localiza sobre uma extensa falha que pode estar ligada à formação de outras depressões;

Mais de 300 rios desembocam no lago Bajkal, que, entre os de água doce, é o mais volumoso do continente asiático.

O  lago Bajkal constitui uma bacia endorreica, já que os rios que nele desembocam não têm sua foz no oceano, e sim no interior do continente





8º ANO ATIVIDADE CAPITULO 11