sexta-feira, 27 de setembro de 2013

ORIENTE MÉDIO ATUAL


CURSO PRÉ-VESTIBULAR OPÇÃO

































FONTE: REVISTA - ATUALIDADES, VESTIBULAR E ENEM
EDITORA ABRIL - 1º SEMESTRE 2013.



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

CURSO OPÇÃO - MUNDO ÁRABE E ORIENTE MÉDIO


01. Em discurso proferido em 20 de maio de 2011, o presidente dos EUA, Barack Obama, pronunciou-se sobre as negociações relativas ao conflito entre palestinos e israelenses, propondo o retorno à configuração territorial anterior à Guerra dos Seis Dias, ocorrida em 1967. Sobre o contexto relacionado ao conflito mencionado é correto afirmar que:
a) A criação do Estado de Israel, em 1948, marcou o início de um período de instabilidade no Oriente Médio, pois significou o confisco dos territórios do Estado da Palestina que existia até então e desagradou o mundo árabe.
b) A Guerra dos Seis Dias insere-se no contexto de outras disputas entre árabes e israelenses, por causa das reservas de petróleo localizadas naquela região do Oriente Médio.
c) A Guerra dos Seis Dias significou a ampliação territorial de Israel, com a anexação de territórios, justificada pelos israelenses como medida preventiva para garantir sua segurança contra ações árabes.
d) O discurso de Obama representa a postura tradicional da diplomacia norte-americana, que defende a existência do Estado de Israel e da Palestina, e diverge da diplomacia europeia, que condena a existência dos dois Estados.

 02. As afirmativas abaixo se referem aos conflitos entre árabes e israelenses, após a Segunda Guerra Mundial:
I - Após a guerra, a partir de uma resolução da ONU, o mapa político da Palestina foi refeito dando origem a dois Estados, um árabe e outro judeu. Essa resolução não foi suficiente para os interesses israelenses que, apoiados pelo governo norte-americano, declararam guerra, unilateralmente, à Liga Árabe.
II - A criação do Estado de Israel levou à evacuação da população árabe nas áreas pertencentes agora ao novo país. As vitórias nas guerras contra os países árabes e a consequente ampliação do território de Israel agravou o problema dos refugiados e deu origem à chamada Questão Palestina.
III - A ação contínua dos guerrilheiros palestinos, nas últimas décadas, dividiu a sociedade israelense em dois grupos: o dos que defendiam a criação de um Estado palestino multiétnico, englobando árabes e israelenses; e o dos que recusavam a existência de um Estado palestino na região, defendendo, por extensão, uma guerra para o extermínio da população árabe.
IV - Na década de 1950, entre os refugiados palestinos, começaram a surgir os primeiros grupos de guerrilheiros que tinham como proposta a fundação de um Estado palestino e a devolução por Israel de todos os territórios ocupados.
Assinale a alternativa:
a) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.              b) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
c) se somente as afirmativas I, II e IV estiverem corretas.        d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
e) se somente as afirmativas II e IV estiverem corretas.
03. O petróleo não é uma matéria-prima renovável e precisou de milhões de anos para sua criação. A maioria dos poços encontra-se no Oriente Médio, na antiga União Soviética e nos EUA. Sua importância aumentou desde meados do século XIX, quando era usado na indústria e hoje é um dos grandes fatores de conflitos no Oriente Médio. Aponte as três primeiras grandes crises do petróleo nos últimos anos.
a) A primeira foi em 1973, quando os EUA tentaram invadir Israel para dominar os poços petrolíferos desse país; a segunda foi em 1979, quando foi criado o Estado da Palestina e eclodiu o conflito com a Arábia Saudita; a terceira foi em 1991, quando começou a guerra do Iraque.
b) A primeira foi em 1973, quando houve uma crise de produção no Oriente Médio, levando ao aumento do preço dos barris de petróleo no mundo todo; a segunda foi em 1979, quando o Kuwait se recusou a vender petróleo para os EUA; a terceira foi em 1991, quando começou a guerra dos EUA contra o Afeganistão.
c) A primeira foi em 1973, devido ao conflito árabe-israelense; a segunda em 1979, quando os árabes diminuíram a produção de barris; a terceira em 1991, que acabou gerando a Guerra do Golfo, quando o Iraque invadiu o Kuwait.
d) A primeira foi em 1973, quando o Iraque invadiu a Palestina; a segunda foi em 1979, período de baixa produção de petróleo no Oriente Médio; a terceira foi em 1991, devido à Guerra do Golfo.
e) A primeira foi em 1973, quando vários países do mundo exigiram a fundação da OPEP para controlar os preços dos barris de petróleo; a segunda foi em 1979, quando se deu o conflito árabe-israelense; a terceira foi em 1991, quando teve início a guerra da Palestina.
04. Com as superpotências coincidindo em seus pontos de vista, não foi difícil para a Assembleia Geral da ONU aprovar, em novembro de 1947, a divisão da Terra Santa. O projeto foi rejeitado pelos representantes dos países árabes. Mas os judeus, liderados por David Ben-Gurion, levaram a proposta adiante. Quase seis meses depois, 14 de maio de 1948, proclamaram a independência. Imediatamente estourou o conflito bélico, vencido pelos israelenses. Outros conflitos vieram, notadamente a Guerra dos Seis Dias. Israel consolidou-se como potência militar. Desde então, trava-se uma luta amarga e desumana entre israelenses palestinos, que, ao longo dessas décadas, acabaram por forjar uma identidade nacional."  A partilha da Palestina está completando 60 anos. Tendo em vista a partilha e seus impactos, a base para a criação do Estado de Israel foi assentada:
a) na existência de um Estado judaico sob aprovação dos países árabes.
b) na legitimação pela força comprovada pela sequência de conflitos e guerras.
c) na possibilidade da existência de uma maioria judaica num território.
d) na ideologia sionista, que defendia a entrada dos judeus na Palestina sob domínio inglês.
05. Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da Palestina que previa a criação de dois Estados: um judeu e outro palestino. A recusa árabe em aceitar a decisão conduziu ao primeiro conflito entre Israel e países árabes.
A segunda guerra (Suez, 1956) decorreu da decisão egípcia de nacionalizar o canal, ato que atingia interesses anglo-franceses e israelenses. Vitorioso, Israel passou a controlar a Península do Sinai. O terceiro conflito árabe-israelense (1967) ficou conhecido como Guerra dos Seis Dias, tal a rapidez da vitória de Israel.
Em 6 de outubro de 1973, quando os judeus comemoravam o Yom Kippur (Dia do Perdão), forças egípcias e sírias atacaram de surpresa Israel, que revidou de forma arrasadora. A intervenção americano-soviética impôs o cessar-fogo, concluído em 22 de outubro.
A partir do texto acima, assinale a opção correta.
a) A primeira guerra árabe-israelense foi determinada pela ação bélica de tradicionais potências europeias no Oriente Médio.
b) Na segunda metade dos anos 1960, quando explodiu a terceira guerra árabe-israelense, Israel obteve rápida vitória.
c) A guerra do Yom Kippur ocorreu no momento em que, a partir de decisão da ONU, foi oficialmente instalado o Estado de Israel.
d) A ação dos governos de Washington e de Moscou foi decisiva para o cessar-fogo que pôs fim ao primeiro conflito árabe-israelense.
e) Apesar das sucessivas vitórias militares, Israel mantém suas dimensões territoriais tal como estabelecido pela resolução de 1947 aprovada pela ONU.
06. Um dos grandes conflitos do Oriente Médio tem sido o confronto árabe-israelense, cujas origens remontam ao período que segue à:
a) Segunda Guerra Mundial, quando os países vencedores apoiaram a Liga Árabe a invadir o território de Gaza.
b) Primeira Guerra Mundial, quando a Liga das Nações, pressionada pelos Estados Unidos, dividiu o território Palestino para criar o Estado de Israel.
c) Segunda Guerra Mundial, quando a ONU, através das forças de paz, obrigaram Israel a abandonar o Sinai, garantindo o controle do Canal de Suez ao Egito.
d) Primeira Guerra Mundial, quando a Liga das Nações aprovou a Declaração Balfour, colocando a Palestina sob o governo da Inglaterra.
e) Segunda Guerra Mundial, quando a ONU, retirando suas tropas da região, permitiu a ocupação da colina de Golan e dos territórios da Cisjordânia.
07. Relacione as colunas, ligando os ditadores que foram alvos das revoluções da Primavera Árabe aos seus respectivos países.
(1) Muammar Kadhafi.
(2) Hosni Mubarak
(3) Ali Abdullah Saleh
(4) Bashar al-Assad
(5) Zine El Abidini Ben Ali.
(  ) Iêmen
(  ) Tunísia
(  ) Líbia
(  ) Egito
(  ) Síria

 CURSO OPÇÃO
PROFESSOR: EFESIO SALGADO – KEL
DISCIPLINA: ATUALIDADE
CONTEÚDO: MUNDO ÁRABE E ORIENTE MÉDIO



terça-feira, 17 de setembro de 2013

HIDROGRAFIA DO BRASIL




HIDROGRAFIA: É o ramo da geografia que estuda os oceanos, mares, geleiras, água do subsolo, lagos, água da atmosfera e rios.

BACIA HIDROGRAFIA: É uma área drenada ou banhada por um rio principal e seus afluentes.

RIO: É um curso de água que se mantém constante em seu fluxo , durante todas as estações do ano.

AFLUENTE: Todo rio que deságua em outro rio é chamado de afluente.

REDE HIDROGRÁFICA: É o conjunto dos rios e afluentes de uma região.

AS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO BRASIL: Bacia Amazônica, Bacia do Tocantins - Araguaia, Bacia Platina ou da prata, Bacia do são Francisco, Bacia Atlântico Sul - Trechos Norte e Nordeste, Bacia Atlântico Sul - Trecho Leste e Bacia Atlântico Sul - Trechos Sudeste e Sul.

DIVISOR DE ÁGUA: É o limite que define as diferentes bacias, são as elevações no relevo (uma serra, um planalto, uma cordilheira, colinas baixas) que separam as águas pluviais que alimentam os rios.

TIPOS DE REGIME DE ABASTECIMENTO DOS RIOS Pluvial, Nival e Misto

Pluvial: Quando um rio é abastecido pelas águas das chuvas;

Nival: Quando um rio é abastecido pelas águas do derretimento das neves;

Misto: Quando um rio é abastecido pelas águas das chuvas e do derretimento das neves;

OS TIPOS DE DRENAGEM DOS RIOS E QUE O QUE PREVALECE NO BRASIL.

Drenagem exorréica e endorréica, o tipo de drenagem que prevalece no Brasil é a exorréica.

OS TIPOS DE ESCOAMENTO DOS RIOS:

Rio perene: É o tipo de rio que apresentam volume de água o ano todo, não seca.

Rio temporários ou intermitentes: É o tipo de rio cujos leitos secam durante certo período do ano.

Rios efêmeros: É o tipo de rio que suas águas só ocorrem em períodos de fortes chuvas, também é conhecido como torrentes.

07. EM RELAÇÃO AO RELEVO QUAIS OS TIPOS DE RIO: Rio de planalto e rio de planície.

ECLUSA: É um reservatório em forma de caixa que possibilita, por enchimento e esvaziamento, uma embarcação transpor uma diferença de nível de um rio, lago, represa, etc.

MONTANTE E JUSANTE DE UM RIO:

Montante: É qualquer parte do rio próximo à sua nascente.

Jusante: É qualquer parte do rio próximo à sua foz.

HIDROVIA: A hidrovia é uma via por onde circulam barcos, elas podem ser instaladas em rios, mares, represas e lagos.

O PROJETO DE TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO.

O projeto de transposição visa a bombear as águas do médio curso do rio para dois eixos: um (deles) voltado para o Ceará/Rio Grande do Norte, e o outro para Pernambuco/Paraíba. A intenção é tornar permanentes rios temporários que abastecem açudes nessa região. O rio São Francisco nasce na serra da Canastra, em Minas Gerais, e segue rumo norte. Após atravessar o sertão da Bahia, direciona-se para o leste, passando pelo estado de Pernambuco e servindo como fronteira entre Alagoas e Sergipe, até desaguar no oceano Atlântico. Este projeto pretende atender a uma necessidade histórica de grande parcela da população sertaneja do Nordeste, sujeita a freqüentes períodos de seca. O desvio de parte das águas do São Francisco visa abastecer açudes instalados no interior de áreas semi-áridas. O mais importante, no entanto, é o uso que se fará dessas águas, que deverá contemplar não só a satisfação das necessidades de consumo dos habitantes, mas também, para a viabilização de projetos de desenvolvimento social e econômico, especialmente na agropecuária , a fim de que o Sertão Nordestino passe a oferecer uma melhor qualidade de vida a seus habitantes.


BACIA AMAZÔNICA:

- É a maior bacia hidrográfica do mundo;

- Tem aproximadamente 7 000000 km2 de área;

- No Brasil cobre uma área de 3,8 milhões de km2 nos estados do Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Pará e Amapá.

- A Bacia Amazônica na América do Sul abrange os seguintes países: Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela e Guiana. 

- O volume de água do rio Amazonas, é extremamente elevado;

- Descarrega, no Oceano Atlântico, aproximadamente 20% do total de água doce que chega aos oceanos em todo o planeta.

- É responsável por 1/5 da água doce que existe no mundo.

- Esse fato faz com que exista um interesse internacional na preservação dessa bacia.

- É uma importante via de comunicação e transporte para a população local;

- O Amazonas é um rio de planície, perene, misto, exorréica;

- A largura deste rio é variável, podendo chegar a mais de 40 km.

Por ser atravessado pela Linha do Equador, esse rio apresenta afluentes nos dois hemisférios do planeta.


BACIA DO TOCANTINS - ARAGUAIA:

- É a maior bacia hidrográfica inteiramente situada em território brasileiro.

- Seu principal rio é o Tocantins, cuja nascente está localizada no estado de Goiás, ao norte da cidade de Brasília. –

- O Rio Tocantins desemboca no Delta Amazônico e é, ao mesmo tempo, um rio de planície e planalto.

- Do ponto de vista econômico serve para ser utilizado tanto para a navegação quanto para a produção de energia.

- A ação humana ao longo da Bacia do Tocantins - Araguaia

- Nesta bacia, foi construída a Usina Hidrelétrica de Tucuruí, na década de 70 do século XX.

- A construção de Usina Hidrelétrica de Tucuruí causou grande impacto ambiental na região.

- Atualmente, as atividades ligadas à agropecuária e ao extrativismo mineral e vegetal têm contribuído para a degradação do ambiente local.

- Nessa bacia, encontra-se a maior ilha fluvial do mundo - a Ilha do Bananal;

Impactos socioambientais provocados pela construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí:

- Redução da vazão da água nos rios;

- Interrupção do transporte fluvial em alguns trechos;

- Remanejamento de diversas famílias que viviam em áreas que foram alagadas.

BACIA SANFRANCISCANA (OU DO SÃO FRANCISCO):

- O Rio São Francisco nasce em Minas Gerais, na Serra da Canastra;

- Banha os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe;

- É o mais extenso rio 100% brasileiro;

- Também e chamado de Velho Chico;

- Possui grande importância política, econômica e social para o Nordeste;

- É utilizado para irrigar importantes áreas agrícolas da região, produzir energia, além de fornecer água para os habitantes.

- É navegável desde Pirapora, em Minas Gerais, até a barragem de Itaparica entre os estados da Bahia e de Pernambuco;

- Há hidrelétricas com grandes lagos e a eclusa de Sobradinho;

- É utilizado para o abastecimento de importantes cidades nordestinas;

- Tem um importante e polêmico sendo implantado em sua bacia – A Transposição ou desvio das águas do Rio São Francisco;

- O principal objetivo é levar água para os rios que secam em períodos de estiagem;

- O projeto de Transposição enfrenta forte resistência da sociedade e dos ambientalistas, em virtude dos impactos ambientais que esse projeto pode provocar em todo o Nordeste.

BACIA PLATINA OU BACIA DO PRATA:

- É formada pelas sub-bacias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai;

Banha áreas do Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai;

- O Rio Paraná é formado pela junção dos rios Grande e Paranaíba e possui como principais afluentes os rios Paraguai, Tietê, Paranapanema, Ivaí e Iguaçu.

- O Rio Paraná é utilizado como limite entre o Brasil e o Paraguai, onde foi implantada a Usina Hidrelétrica Binacional de Itaipu, que é a maior do planeta;.

- A maior parte da energia produzida pela Usina de Itaipu é destinada à Região Sudeste, principal pala industrial do país.

- São as usinas de menor potencial hidrelétrico que fornecem energia para a Região Sul, como a Usina de Porto Primavera (SP), Usina de Marimbondo (entre SP e MG), Usina Hidrelétrica Dona Francisca (RS), Usina Hidrelétrica de Segredo (PR), entre outras.

Os rios da Bacia do Paraná estão localizados próximo a importantes áreas econômicas:

- Buenos Aires e Rosário, na Argentina;

- Estados de São Paulo e do Paraná, partes dos estados de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás, no Brasil;

- Montevidéu, no Uruguai; e Assunção, no Paraguai.

É uma bacia extremamente importante do ponto de vista econômico para a região.

Na área da Bacia do Paraná, existem inúmeras indústrias instaladas, Automobilísticas, alimentícias e de cerâmica;

Importantes centros urbanos, como São Paulo ê Curitiba;

Desenvolvidas áreas agropecuárias, como Chapecó, Cascavel, Maringá, Ribeirão Preto. São José do Rio Preto e Presidente Prudente.

Os rios dessa bacia são intensamente utilizados para o escoamento de mercadorias, além do consumo em indústrias, residências, irrigação de áreas agrícolas, entre outros;

A hidrovia, a Paraguai-Paraná é um projeto que faz a ligação fluvial entre o Porto de Cáceres, em Mato Grosso, e o Porto de Nueva Palmira, no Uruguai, aproximadamente 3 400 km de extensão.

A hidrovia Paraguai-Paraná , tem sofrido críticas e muitos obstáculos para a sua utilização, uma vez que provoca mudanças no leito dos rios e impacto sobre a fauna e a flora da região.

Do ponto de vista econômico, a construção dessa hidrovia possibilitou e facilitou o transporte de mercadorias.

A hidrovia Paraguai-Paraná: serve de elo entre os países do bloco MERCOSUL,