terça-feira, 29 de maio de 2012

COLÉGIO MONTESSORI 1º ANO



COMPLEMENTO - CONTEÚDO PARA PROVA

AS ETAPAS DO CICLO DA ÁGUA

Precipitação (líquida ou sólida)
  
Escoamento (águas superficiais)

Infiltração (armazenamento e escoamento subterrâneo)               

Evaporação (passagem do estado líquido para o estado gasoso)

Condensação (passagem do estado gasoso para o estado líquido)


TIPOS DE ABASTECIMENTO DOS RIOS

PLUVIAL, quando são abastecidos pelas águas das chuvas. Nesse caso, as cheias aconte­cem no decorrer da estação chuvosa.

NIVAL, quando suas águas provêm do derretimento das geleiras e da cobertura de neve das montanhas.

MISTO, quando são alimentados por ambas as fontes as chuvas e o gelo.

No Brasil, o regime dos rios é pluvial, pois não há gelo e neve em quantidade su­ficiente para formá-Ias.

A única exceção é o Rio Amazonas, cujo regime é misto;

QUANTO AO TIPO DE ESCOAMENTO, PODEMOS CLASSIFICAR OS RIOS EM TRÊS TIPOS:

EFÊMERO: São os rios que existem durante curtos períodos de fortes chuvas.

São também cha­mados de torrentes.

Esses rios são um dos responsáveis pelas chamadas "enchentes relâmpagos", que afetam principalmente áreas áridas e semiáridas;

INTERMITENTES OU TEMPORÁRIOS: São os rios cujos leitos secam durante certo período do ano.

É o caso da maioria dos rios do Sertão Nordestino, localizados em área de clima semiárido, com longos períodos de seca.

Rios de áreas muito frias, como os rios canadenses e russos, tam­bém podem ser considerados intermitentes, pois as águas congelam durante os meses mais frios;

PERENES: São os rios que correm durante todo o ano.

A maior parte dos rios brasileiros são pere­nes, como o São Francisco, Amazonas, etc.

QUANTO AO RELEVO POR ONDE PASSAM, OS RIOS PODEM SER CLASSIFICADOS EM:

RIOS DE PLANÍCIE: rios que correm por áreas planas onde praticamente não há cacho­eiras, saltos e corredeira.

Por esse motivo, esses rios são adequados à navegação. Exemplos: Amazonas, Araguaia, Tapajós e Negro;


RIOS DE PLANALTO: rios que correm por terrenos com desníveis acentuados, onde se forma grande número de corredeiras e cachoeiras;

São ideais para a construção de hidrelétricas. Exemplos: São Francisco, Iguaçu, Paranaíba, Tietê e Paraná.


BACIA DO RIO DA PRATA OU PLATINA:

É a bacia hidrográfica com maior potencial hidrelétrico instalado; portanto, é a bacia que mais gera energia no Brasil.

É constituída por três sub-bacias, cujos nomes se referem a seus rios principais: Uruguai, Paraná e Paraguai.

A sub-bacia do Paraná, apesar de ser planáltica, possui uma hidrovia chamada de Tietê-Paraná a qual, no futuro, quando estiver completamente integrada, beneficiará a economia da região.

Nessa sub-bacia, localiza-se a maior hidrelétrica do mundo: Itaipu;

O nome da Bacia Platina vem do Rio da Prata, na Argentina, que recebe as águas dos três principais rios da bacia.

BACIA AMAZÔNICA:

É a mais extensa e de maior potencial hidrelétrico.

Seu rio principal, o Amazonas, nasce na Cordilheira dos Andes, no Peru;

Recebe vários nomes até ser denominado Amazonas, quando o Rio Solimões encontra as águas do Rio Negro, perto da cidade de Manaus.

Sua foz é no chamado Golfão Amazônico, entre os estados do Amazonas, do Amapá e do Pará.

No meio desse golfo, fica a Ilha de Marajó, a maior ilha fluviomarinha do mundo.

Devido à insuficiente rede de rodovias da Região Amazônica, seus grandes rios desempenham o papel de estradas e a população ribeirinha depende desses rios para se locomover.

O trecho entre Manaus e Belém pode levar até três dias para ser navegado.

BACIA DO SÃO FRANCISCO:

É um rio de planalto,

É chamado de Velho Chico, rio dos currais e rio da unidade nacional;

É a bacia com o segundo maior potencial hidrelétrico instalado do país.

Nasce na Serra da Canastra, em Minas Gerais, e possui um trecho navegável entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA).

É o mais extenso rio exclusivamente em terras brasileiras.

Banha áreas de clima semiárido – Sertão do Nordeste,

Recentemente, suas águas vêm sendo utilizadas para a fruticultura irrigada nas proximidades das cidades de Juazeiro (Bahia) e Petrolina (Pernambuco).

Existe um projeto de transposição ou desvio do Velho Chico para que alimente alguns rios que são intermitentes.

Entretanto, os ambientalistas são contrários a esse projeto.

Muitos estudos vêm sendo feitos para avaliar os possíveis impactos ambientais na natureza da região.

BACIA DO TOCANTINS-ARAGUAIA:

Localiza-se no centro do país,

É a maior bacia inteiramente brasileira.

Seus dois principais rios nascem em Goiás.

É formada pelos rios Araguaia e Rio Tocantins e deságua no Golfão Amazônico, em seu trecho paraense.

Apresentar longos trechos navegáveis é utilizado para escoar parte da produção de grãos das regiões que banha, com destaque para a soja.

A Usina Hidrelétrica de Tucuruí, a segunda maior do país, foi construída no Rio Tocantins e atende às necessidades de consumo de energia do Projeto de Mineração Carajás, no Pará.

No Rio Araguaia, encontra-se a maior ilha fluvial do mundo: a Ilha do Bananal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

9º ANO ROTEIRO QUESTÕES CAP. 11