quinta-feira, 27 de maio de 2010

6º ANO HIDROSFERA

HIDROSFERA

Os recursos naturais compreendem todos os elementos da natu­reza que podem ser usados pelos seres hu­manos. A água é um desses recursos.

RECURSOS HÍDRICOS: Ao conjunto de todas as águas superficiais e subterrâneas presen­tes em uma região ou bacia hidrográfica, disponíveis para qualquer tipo de uso, chamaremos recursos hídricos

BACIA HIDROGRÁFICA: ­área drenada por um rio principal e seus afluentes,

A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA NO MUNDO

Segundo os estudos biológicos mais aceitos pela comunidade científica internacional, os primeiros seres vivos surgiram nos oceanos.

Aproximadamente 70% de nosso corpo é constituído por água.

A água em estado líquido ocupa % da superfície do planeta.

Praticamente todos os seres vivos que habitam as terras emersas ou continentes necessi­tam de água para sobreviver.

Além da hidrosfera, a água está em contato com todas as demais esferas. Encontra-se na atmosfera, na forma de vapor de água; na litosfera, em lençóis freáticos; e na biosfera, no organismo dos seres vivos que nela habitam.

É uma grande fonte de recursos e alimentos, como o sal, os peixes e os frutos do mar. Muitos dos seus recursos e possibilidades de uso pelo ser humano ainda são desconhecidos.

Para muitos países, o transporte aquático (em oceanos, rios e lagos) é fundamental para a economia e sobrevivência da população.

A água também pode ser utilizada como fonte de energia, como a que é produzida pelas usinas hidrelétricas.

Algumas áreas do planeta possuem solos muito secos para serem cultivados, por isso dependem da água para serem irrigados.

LENÇOL FREÁTICO: lençol subterrâneo de água encontrado um pouco abaixo da superfície.

WPI: Índice de pobreza de água - o índice de pobreza da água doce ou Water Poverty Index (WPI) mede, para cada país, o impacto da escassez e suprimento de água sobre a população. O WPI é um número entre O e 100, em que os valores baixos indicam escassez de água, e os valores altos bom suprimento de água.

HÁ CINCO COMPONENTES UTILIZADOS PARA DETERMINAR O WPI:

1. A quantidade de água doce disponível.

2. O acesso que se tem a ela, em termos de proximidade da população.

3. A capacidade tecnológica do país em fazer uso da água.

4. O uso da água, em termos de finalidade e reaproveitamento.

5. Qualidade ambiental da água.

A SITUAÇÃO DA ÁGUA NO BRASIL

O Brasil possui 11,6% de toda a água doce superficial do mundo.

Os 70% das águas disponíveis para uso estão localizados na Região Amazônica.

Os 30% restantes distribuem-se desigualmente pelo país para atender a 93% da população.

MANANCIAIS: regiões onde se encontram reservas de água potável, como nascentes de rios e lagos.

DESSALINIZAÇÃO: O ­processo de transformação da água salgada em água doce potável, pronta para uso humano;

DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NO MUNDO:

97% de toda a água que existe na Terra é salgada e se encontra nos oceanos.

3%de toda a água do planeta é doce.

Dos 3% de água doce, 79% encon­tram-se na forma sólida, em geleiras;

20% são águas subterrâneas;

1 % encontra-se na superfície, seja na forma líquida ou gasosa. Desse total, a maior parte está em lagos (52%), 38% estão retidos nos solos; 8% estão na atmosfera, na forma de vapor de água;

Ape­nas 1 % está correndo nos rios.

1 % presente nos seres vivos.

CICLO DA ÁGUA: É a contínua circulação da água entre o solo, as águas superficiais (oceanos, mares, lagos e rios), os seres vivos e a atmosfera.

No ciclo hidrológico, estão envolvidas todas as quatro esferas da Terra: a hidrosfera, a atmosfera, a litosfera e a biosfera.

AO CAIR SOBRE O CONTINENTE A ÁGUA PERCORRE QUATRO CAMINHOS QUE SÃO:

ao tocar o solo, voltar à atmosfera por meio da evaporação;

realizar o chamado escoamento superficial, que ocorre sobre as rochas e solos, em direção
aos rios, lagos e oceanos;

infiltrar-se no solo;

É transportado por rios até os lagos, mares e oceanos.

NESSE CASO, VOCÊ PODERÁ SEGUIR POR UM DOS TRÊS CAMINHOS SEGUINTES:

Ficar armazenado em depósitos subterrâneos profundos;

Ficar armazenado nos lençóis freáticos, onde poderá permanecer ou ser absorvido pelas raízes da vegetação;

Atingir, por meio do escoamento subsuperficial (que ocorre sob o solo), os rios, lagos e oceanos.

A água das chuvas que se infiltra no subsolo pode ser extraída pelo ser humano, por meio da perfuração de poços, ou pode surgir naturalmente na superfície, como nas fontes ou nascentes.

A água infiltrada no subsolo pode dar origem a um rio que por sua vez, vai desaguar em outros rios, lagos, mares ou oceanos e essa água poderá evaporar-se novamente.

A água das precipitações (chuvas) sólidas, como a neve e o granizo, após derretimento, também pode escoar para rios e lagos ou infiltrar-se no subsolo.

O ciclo hidrológico é muito importante para a manutenção da vida no planeta, as formas de vida dependem da água para a sua sobrevivência, além de as águas superficiais e as chuvas auxiliam a agricultura e o abastecimento dos reservatórios, represas e a erosão do relevo.

EVAPOTRANSPIRAÇÃO: É a perda de vapor de água das plantas e animais pela transpiração, somada à evaporação da água do solo.

NUVENS: É a massa visível de gotículas de água ou de gelo formada pela condensação do vapor de água na atmosfera.

AS ETAPAS DO CICLO DA ÁGUA

Precipitação (líquida ou sólida)

Escoamento (águas superficiais)

Infiltração (armazenamento e escoamento subterrâneo)

Evaporação (passagem do estado líquido para o estado gasoso)

Condensação (passagem do estado gasoso para o estado líquido)

OCEANOS  E MARES

Aproximadamente 70% do planeta Terra são constituídos de água.

OCEANOS: São as grandes massas de água salgada que circundam os continentes.

Os cientistas têm dividido os oceanos em três: Pacífico, Atlântico e índico. Para eles, o Ártico e o Antártico não são oceanos, pois, uma vez que estão situados nas frias regiões polares, passam a maior parte do ano congelados.

MARES: São porções do oceano que se encontram no interior do continente ou próximo a ele.

São de menor profundidade que os oceanos e recebem maior influência das terras continentais, na forma de sedimentos provenientes em grande quanti­dade dos rios e encostas litorâneas.

TIPOS DE MARES

MARES ABERTOS: Possuem ampla ligação com o oceano;

MARES INTERIO­RES: Separados dos oceanos por meio de estreitos;

MARES FECHADOS: que não possuem ligação direta com os oceanos.

FATORES QUE DESTACA A IMPORTÂNCIA DOS MARES

É a maior fonte de pesca do planeta, com grande variedade de peixes e frutos do mar.

A maior parte do petróleo mundial é extraído das plataformas continentais dos oceanos.

Muitas áreas litorâneas apresentam alto potencial turístico e beneficiam a economia dos países que são banhados pelos mares e oceanos.

Recentemente, a força das marés tem sido aproveitada para geração de energia.

As águas oceânicas possuem os maiores ecossistemas da Terra, abrigando uma rica diversidade de fauna e flora. Além disso, influenciam na manutenção dos ecossistemas de mangues e áreas de restinga.

Como os oceanos cobrem 70% do planeta, seu papel é fundamental nas trocas de calôr e umidade que afetam os climas da Terra.

É a principal fonte de sal mineral, utilizado na alimentação e na indústria.

Os rios nascem em áreas mais elevadas e que se dirigem à sua foz após rece­berem as águas de seus inúmeros afluentes e subafluentes.

DIVISOR DE ÁGUA: Uma elevação qualquer, que divide as águas de duas ou mais bacias hidrográficas

QUANTO AO REGIME DE ABASTECIMENTO PODEMOS CLASSIFICAR OS RIOS COMO:

PLUVIAL, quando são abastecidos pelas águas das chuvas. Nesse caso, as cheias aconte­cem no decorrer da estação chuvosa.

NIVAL, quando suas águas provêm do derretimento das geleiras e da cobertura de neve das montanhas.

MISTO, quando são alimentados por ambas as fontes as chuvas e o gelo.

No Brasil, o regime dos rios é pluvial, pois não há gelo e neve em quantidade su­ficiente para formá-Ias.

A única exceção é o Rio Amazonas, cujo regime é misto;

QUANTO AO TIPO DE ESCOAMENTO, PODEMOS CLASSIFICAR OS RIOS EM TRÊS TIPOS:

EFÊMEROS, São os rios que existem durante curtos períodos de fortes chuvas.

São também cha­mados de torrentes.

Esses rios são um dos responsáveis pelas chamadas "enchentes relâmpagos", que afetam principalmente áreas áridas e semiáridas;

INTERMITENTES OU TEMPORÁRIOS, São os rios cujos leitos secam durante certo período do ano.

É o caso da maioria dos rios do Sertão Nordestino, localizados em área de clima semiárido, com longos períodos de seca.

Rios de áreas muito frias, como os rios canadenses e russos, tam­bém podem ser considerados intermitentes, pois as águas congelam durante os meses mais frios;

PERENES: São os rios que correm durante todo o ano.

A maior parte dos rios brasileiros são pere­nes, como o São Francisco, Amazonas, etc.

QUANTO AO RELEVO POR ONDE PASSAM, OS RIOS PODEM SER CLASSIFICADOS EM:

RIOS DE PLANÍCIE: rios que correm por áreas planas onde praticamente não há cacho­eiras, saltos e corredeira.

Por esse motivo, esses rios são adequados à navegação. Exemplos: Amazonas, Araguaia, Tapajós e Negro;


RIOS DE PLANALTO: rios que correm por terrenos com desníveis acentuados, onde se forma grande número de corredeiras e cachoeiras;

São ideais para a construção de hidrelétricas. Exemplos: São Francisco, Iguaçu, Paranaíba, Tietê e Paraná.


BACIA DO RIO DA PRATA OU PLATINA:

É a bacia hidrográfica com maior potencial hidrelétrico instalado; portanto, é a bacia que mais gera energia no Brasil.

É constituída por três sub-bacias, cujos nomes se referem a seus rios principais: Uruguai, Paraná e Paraguai.

A sub-bacia do Paraná, apesar de ser planáltica, possui uma hidrovia chamada de Tietê-Paraná a qual, no futuro, quando estiver completamente integrada, beneficiará a economia da região.

Nessa sub-bacia, localiza-se a maior hidrelétrica do mundo: Itaipu;

O nome da Bacia Platina vem do Rio da Prata, na Argentina, que recebe as águas dos três principais rios da bacia.

BACIA AMAZÔNICA:

É a mais extensa e de maior potencial hidrelétrico.

Seu rio principal, o Amazonas, nasce na Cordilheira dos Andes, no Peru;

Recebe vários nomes até ser denominado Amazonas, quando o Rio Solimões encontra as águas do Rio Negro, perto da cidade de Manaus.

Sua foz é no chamado Golfão Amazônico, entre os estados do Amazonas, do Amapá e do Pará.

No meio desse golfo, fica a Ilha de Marajó, a maior ilha fluviomarinha do mundo.

Devido à insuficiente rede de rodovias da Região Amazônica, seus grandes rios desempenham o papel de estradas e a população ribeirinha depende desses rios para se locomover.

O trecho entre Manaus e Belém pode levar até três dias para ser navegado.

BACIA DO SÃO FRANCISCO:

É um rio de planalto,

É chamado de Velho Chico, rio dos currais e rio da unidade nacional;

É a bacia com o segundo maior potencial hidrelétrico instalado do país.

Nasce na Serra da Canastra, em Minas Gerais, e possui um trecho navegável entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA).

É o mais extenso rio exclusivamente em terras brasileiras.

Banha áreas de clima semiárido – Sertão do Nordeste,

Recentemente, suas águas vêm sendo utilizadas para a fruticultura irrigada nas proximidades das cidades de Juazeiro (Bahia) e Petrolina (Pernambuco).

Existe um projeto de transposição ou desvio do Velho Chico para que alimente alguns rios que são intermitentes.

Entretanto, os ambientalistas são contrários a esse projeto.

Muitos estudos vêm sendo feitos para avaliar os possíveis impactos ambientais na natureza da região.

BACIA DO TOCANTINS-ARAGUAIA:

Localiza-se no centro do país,

É a maior bacia inteiramente brasileira.

Seus dois principais rios nascem em Goiás.

É formada pelos rios Araguaia e Rio Tocantins e deságua no Golfão Amazônico, em seu trecho paraense.

Apresentar longos trechos navegáveis é utilizado para escoar parte da produção de grãos das regiões que banha, com destaque para a soja.

A Usina Hidrelétrica de Tucuruí, a segunda maior do país, foi construída no Rio Tocantins e atende às necessidades de consumo de energia do Projeto de Mineração Carajás, no Pará.

No Rio Araguaia, encontra-se a maior ilha fluvial do mundo: a Ilha do Bananal.


Um comentário:

  1. Olá professor quero dizer-te que gostei muito dessa matéria sobre a hiodrosfera, pois também sou professora de geografia e ao visitar seu blog, enriqueci meus conhecimentos. obrigada..

    ResponderExcluir