domingo, 11 de abril de 2010

CICLO DA ÁGUA - FATORES DO CLIMA - MASSAS DE AR E TIPOS DE CHUVA

O CICLO DA ÁGUA E SUAS ETAPAS

O CICLO HIDROLÓGICO, OU CICLO DA ÁGUA, é a constante circulação da água existente em nosso planeta. Nesse ciclo a água existente no planeta (oceanos, mares, rios, lagos e nos seres vivos), é transferida para a atmosfera em forma de vapor de água, por meio da evaporação e da evapotranspiração. Havendo a condensação do vapor, a água volta à superfície terrestre na forma líquida (chuvas) ou sólida (granizo e neve).

EVAPORAÇÃO: É o processo pelo qual a água passa do estado líquido para o estado de vapor, esta transformação é promovida pela variação da temperatura da superfície, da temperatura e umidade do ar e da intensidade e direção dos ventos.

EVAPOTRANSPIRAÇÃO: É quando a água consumida pela vegetação é eliminada pelas folhas na forma de vapor, por meio da transpiração.

CONDENSAÇÃO: É a passagem da água do estado gasoso (vapor de água), ao estado líquido. Acontece quando o vapor de água se concentra e passa em áreas mais frias, formando as nuvens e provocando precipitação.

PRECIPITAÇÃO: É a água que cai sobre o solo ou sobre um corpo d’água. Pode ser na forma líquida(chuva) ou sólida (granizo ou neve)Nos oceanos, a evaporação excede a precipitação, e nos continentes ocorre o oposto.

ESCOAMENTO SUPERFICIAL: É a parte da água precipitada que escoa sobre o solo, correndo para locais mais baixos, até atingir um corpo d’água como um rio, lago ou oceano. A água que compõe escoamento superficial pode também sofrer infiltração para as camadas superiores do solo, ficar retida ou sofrer evaporação.

ESCOAMENTO SUBTERRÂNEO: É a parte da água precipitada que infiltra na camada superior do solo, sendo bem mais lento que o escoamento superficial. Esse escoamento alimenta os rios, os lagos, os aquíferos e é responsável pela manutenção dos corpos d’água durante épocas de estiagem.

INFILTRAÇÃO: É o processo pelo qual parte da água precipitada vai ser utilizada pela vegetação ou vai abastecer o lençol freático ou subterrâneo.
FATORES QUE INFLUEM NO CLIMA

ALTITUDE: Quanto maior a altitude menor a temperatura, ou seja, mesmo estando na mesma latitude uma cidade localizada a 900m do nível do mar terá 5ºC a menos que uma localizada ao nível do mar.A temperatura diminui 1ºC a cada 200m de altitude.

PROXIMIDADE DO OCEANO OU MARITIMIDADE: As áreas mais distantes do oceano costumam registrar extremos de frio e calor, devido à continentalidade. Isso ocorre, porque a terra se aquece e se esfria mais rapidamente que a água. Por outro lado, nas áreas litorâneas, as temperaturas são amenizadas pelo oceano, que demora mais para aquecer e resfriar-se . Assim, a temperatura dos oceanos e das áreas litorâneas, em geral, não varia muito ao longo do ano, enquanto a do continente experimenta grandes contrastes de altas e baixas temperaturas.

CORRENTES MARÍTIMAS: As temperaturas do ar em áreas banhadas o ano todo por correntes frias ou quentes não oscilam muito entre o dia e a noite e nem ao longo do ano. Ou seja, a amplitude térmica diária e anual é baixa. Nas áreas onde há correntes quentes no verão e frias no inverno, em geral, os extremos de frio e calor são grandes.

VEGETAÇÃO: A cobertura de flora auxilia no aumento da umidade do ar, pois o vegetal retira umidade do solo, através das raízes e mandam para a troposfera, pela evapotranspiração. Esse processo auxilia na umidade do ar e por conseguinte no índice pluviométrico local.

MASSAS DE AR: São extensas porções de ar que apresentam certa uniformidade horizontal de temperatura e umidade e que se encontram acima de grandes extensões da superfície da Terra (oceanos e continentes). Essas grandes porções de ar, chamadas de massas de ar, deslocam-se constantemente e adquirem as características das superfícies sobre as quais passam. Existem massas quentes (secas ou úmidas), com origem nos trópicos e no Equador, e massas frias (secas ou úmidas), com origem nas regiões subpolares e polares. As massas são secas, quando seu local de origem são os continentes; e úmidas, quando sua fonte são os oceanos ou grandes florestas equatoriais sobre o continente, como é o caso da Amazônia. As massas de ar influenciam fortemente o tempo atmosférico nas áreas por elas atingidas. Massas de ar polares e árticas, por exemplo, trazem baixas temperaturas, enquanto massas equatoriais e tropicais trazem altas temperaturas.

RELEVO: Além de associado à altitude, que já é um fator climático, o relevo influencia na organização climática, a partir do momento em que interfere na circulação das massas de ar.
MASSAS DE AR E TIPOS DE CHUVA
MASSAS DE AR

Massas de ar: São porções gasosas com temperatura e pressão definidas que circulam na troposfera. A climatologia moderna considera a massa de ar como o principal fator do clima. Os movimentos do ar (massas de ar e ventos) resultam da distribuição desigual da energia solar nas zonas de baixas, médias e altas latitudes.

O ar aquecido nas zonas de baixas latitudes próximas ao equador se expande, torna-se leve e sobe, criando uma área de baixa pressão ou ciclonal. O ar mais frio e denso das áreas de médias e altas latitudes desce, fazendo surgir uma área de alta pressão ou áreas anticiclonais.

DE ACORDO COM A ÁREA DE FORMAÇÃO SÃO CLASSIFICADAS COMO:
Equatoriais (quentes e muito úmidas).
Tropicais (quentes)
Polares (frias)

PODEM SER:
Marítimas (geralmente muito úmidas)
Continentais (geralmente secas).

Quando uma massa de ar se desloca sobre uma superfície mais fria do que ela, é chamada uma massa de ar quente. Se a superfície está mais quente do que ela, é chamada uma massa de ar frio. As massas de ar são o veículo da transferência de calor na atmosfera através do globo. Quando uma massa de ar se desloca, a sua parte dianteira passa a ser conhecida por frente.

Dispersores das massas de ar: Região tropical, Região equatorial e Região polar
Nomenclaturas das massas de ar:
Ex: mXz - m E a
m = massa de ar
X = Zona climática onde se formou – E - equatorial
z = local onde se formou – a – Oceano Atlântico
Obs:
As zonas climáticas onde as massas de ar se formam:
Equatoriais: possuem ar quente e úmido
Tropicais: possuem ar quente, seco e úmido,conforme sua origem – continente ou oceano.
Polares: possuem ar frio e pouco úmido se, forem continentais.

TIPOS DE CHUVA
As chuvas são resultados da saturação do vapor d`água que se condensa passando do estado gasoso para o líquido. Os tipos de chuvas: Frontais, Orográficas e Convectivas

FRONTAIS: Quando duas massas com temperatura e pressão opostas e proporcionais se encontram ocorre a condensação do vapor e a precipitação da água em forma de chuva. Comuns no litoral nordestino Chuvas frontais.

OROGRÁFICA OU DE RELEVO: Quando a massa de ar encontra uma barreira natural (montanha) é obrigada a ganhar altitude onde pode ocorrer a queda de temperatura e a condensação do vapor. São chuvas comuns no nordeste continental (Chapada Diamantina) e no sudeste (Serra do mar).

CONVECTIVA OU DE CONVECÇÃO: Ocorre em função da subida do ar contendo muito vapor d`água e que ao ganhar altitude entra em contato com as camadas frias e sofre condensação e posterior precipitação.

FONTES:

01. www.cori.unicamp.br/foruns/energia/evento10/edson.ppt
02. MOREIRA, Carlos João e SENE, Eustáquio de. Espaço Geográfico Globalizado - Geografia Geral e do
Brasil. Ed. Scipione. 1997.
03. COELHO, Marcos de Amorim. Geografia Geral. 1992. Ed.Moderna Ltda. São Paulo.
04. http://www.suapesquisa.com/pesquisa/ciclo_agua.htm
05. COELHO, Marcos Amorim. Geografia Geral - O Espaço natural e sócio-econômico - 3ª Edição reformulada.
Ed. Moderna. São Paulo. 1995.
06. MAGNOLI, Demétrio e ARAÚJO, Regina. Geografia Geral e do Brasil, Paisagens e Território. 1994. Ed.Moderna Ltda. São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

9º ANO ROTEIRO QUESTÕES CAP. 11