sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

CURSO OPÇÃO - QUESTÕES URBANIZAÇÃO 2015 parte 2


01. Estudos recentes sobre a urbanização brasileira nos mostram algumas características da ocupação do solo. Sobre o processo de urbanização, assinale a alternativa correta.

A) A urbanização brasileira se desenvolveu com ampla integração ambiental.
B)As principais capitais brasileiras foram cidades planejadas para minimizar os impactos ambientais.
C) As cidades brasileiras, na sua maioria, cresceram ordenadamente, dentro de uma lógica social, promovendo a qualidade de vida do cidadão.
D) A conurbação que acontece em algumas cidades brasileiras pode ser uma solução adotada para minimizar problemas de saneamento básico.
E) O crescimento desordenado das áreas urbanas provocou grandes impactos ambientais, principalmente na Mata Atlântica.

02. A intensa e acelerada urbanização brasileira resultou em sérios problemas sociais urbanos, entre os quais podemos destacar:

A)Falta de infraestrutura, limitações das liberdades individuais e altas condições de vida nos centros urbanos.
B)Aumento do número de favelas e cortiços, falta de infraestrutura e todas as formas de violência.
C)Conflitos e violência urbana, luta pela posse da terra e acentuado êxodo rural.
D) Acentuado êxodo rural, mudanças no destino das correntes migratórias e aumento no número de favelas e cortiços.
E) Luta pela posse da terra, falta de infraestrutura e altas condições de vida nos centros urbanos.

03. Hoje a cidade de Nápoles assemelha-se a uma enorme lixeira. As autoridades napolitanas não sabem para onde levar os resíduos sólidos domiciliares produzidos pela cidade. [...] Sem saber o que fazer com o seu lixo, e com o receio crescente de epidemias, muitos habitantes já começaram a queimar os resíduos domiciliares, fazendo aumentar o rol de perigos associados ao problema, como a libertação de substâncias potencialmente cancerígenas para a atmosfera. Esta situação, com proporções mais preocupantes em Nápoles, afeta, no entanto, toda a região italiana da Campânia. Disponível em:  http://www.mafiadolixo.adm.br/default. asp?>. Acesso em: 8 jul. 2008. A crise do lixo na Itália reflete:

A) a importância adquirida pelos ambientalistas, que pressionam os governos dos países ricos por soluções para um desenvolvimento sustentável a nível global.
B) a falta de consciência ecológica por parte da população italiana, que, tal como a população dos países subdesenvolvidos, não se preocupa com o destino do lixo que produz.
C) a força do poder paralelo que tenta desestabilizar o governo italiano diante da população, já que é a Gamorra (a máfia local) quem controla os aterros sanitários da região.
D) o dilema da atual sociedade de consumo que dilapida o planeta na produção de necessidades supérfluas e de produtos descartáveis, mas não encontra soluções viáveis e ambientalmente sustentáveis para a enorme quantidade de lixo que produz.
E) um problema típico dos países ricos europeus, que dispõem de pouco espaço para fazer aterros sanitários, a solução mais viável para destinar a grande quantidade de lixo que produzem sem agredir o meio-ambiente.

04. O fenômeno da macrocefalia urbana, decorrente do crescimento acelerado das cidades, principalmente nos países pobres, gera consequências diretas, como:

A)Aumento dos problemas sociais e a exclusão social e econômica de grande parte da população.
B) Surgimento de bairros destinados a habitantes com alto poder aquisitivo e disseminação dos serviços modernos.
C) A verticalização urbana e a diminuição do consumo de bens duráveis e não duráveis.
D) Redução da criminalidade e da desigualdade social, tendo em vista que a renda é mais bem distribuída nas grandes cidades.
E) Estagnação da indústria, devido à redução do consumo e à aceleração do êxodo urbano.



sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

CURSO OPÇÃO - QUESTÕES URBANIZAÇÃO 2015


QUESTÕES URBANIZAÇÃO 2015
01. Leia as afirmativas a seguir:
I. As atividades econômicas geralmente são classificadas em três setores: setor primário, setor secundário e setor terciário.
II. O setor terciário é o que vem apresentando os menores índices de crescimento. Isto é explicado pelo seu caráter restrito (reúne um menor número de atividades).
III. Atualmente, com a revolução tecnocientífica, tende-se a redividir os setores da atividade econômica em quatro, incluindo o setor quaternário, que abrange a pesquisa de alto nível (biotecnologia, robótica, aeroespacial, etc.).
Assinale a alternativa correta:
A)I e II.
B)I e III.
C)II e III.
D)somente a afirmativa I.
E)somente a afirmativa II.

02. obre a análise e a constituição do espaço urbano, são feitas as seguintes afirmações:
I. O espaço urbano capitalista é fragmentado, articulado e campo das lutas sociais.
II. O espaço urbano é um produto social, resultado das ações de acumulação de capital ao longo do tempo.
III. Os proprietários dos meios de produção, os proprietários fundiários, o Estado e os grupos sociais são alguns dos agentes que constituem o espaço urbano.
IV. O espaço urbano é o resultado da combinação dinâmica, portanto instável, de elementos físicos, biológicos e antrópicos que, reagindo dialeticamente uns sobre os outros, formam [...] um conjunto indissociável, em perpétua evolução.
Está correto o que se afirma:
A)apenas em II e III.
B) apenas em I, II e III.
C) apenas em I, II e IV.
D) apenas em III e IV.
R
03. Os setores produtivos de um país são formados por um conjunto de atividades econômicas. Um exemplo de setor produtivo é o Secundário, constituído pelas seguintes atividades:
A) agricultura, construção civil, extrativismo.
B) indústria de transformação, indústria extrativa vegetal e mineral, serviço industrial de utilidade pública.
C) serviços, comércio, transportes, silvicultura.
D) geração de energia, indústria de transformação, silvicultura, criatório.
E) agroindústria, pecuária, caça e pesca, serviço industrial de utilidade pública.

04. - Universidade Estadual da Paraíba) -
As proposições abaixo tratam do comportamento dos setores de atividades na economia mundializada. Logo,
I - em virtude da mecanização do campo e da urbanização, a população ocupada no Setor Primário tende a diminuir a cada dia no mundo em transição;
II - o Setor Secundário, o grande empregador de mão de obra do século XX, vem passando por um processo de eliminação dessa força de trabalho, principalmente nas economias industrializadas que lideram a Terceira Revolução Industrial, em virtude da intensa automatização e robotização das tarefas;
III - na atual fase da evolução do capitalismo, o Setor Terciário dos países desenvolvidos assume importância relevante. Entre as atividades terciárias em grande expansão na economia globalizada estão as empresas de telecomunicações, de turismo, o setor de prestação de serviços diversificados e a crescente produção de softwares e da biotecnologia;
IV - nas economias subdesenvolvidas o Setor Terciário é qualitativamente igual ao das economias desenvolvidas. A cada dia diminui o número de subempregados, as pessoas já encontram com facilidade empregos condignos com salários razoáveis e fogem das atividades precárias para sobreviver.
Estão corretas
A) apenas as proposições I e III
B)apenas as proposições I e II
C) apenas as proposições I e IV
D)apenas as proposições I, II e III
E)todas as proposições

05. Analise este pequeno fragmento e assinale a alternativa que relata o problema nele mencionado e sua justificativa.
"Expulsar os pobres da cidade por meio de despejos ou práticas discriminatórias não é aresposta. Ajudar os habitantes urbanos pobresa se integrarem no tecido da sociedade urbanaé a única solução duradoura e sustentável paraa crescente urbanização da pobreza." UNFPA. Situação da população mundial 2007: desencadeando o potencial do crescimento urbano. Disponível em. Acesso em: 3 mar. 2011.
A) O êxodo rural que se intensificou no Brasil a partir da década de 1970 - O texto refere-se exclusivamente aos habitantes das áreas rurais, que foram expulsos do campo pelo advento da aplicação da tecnologia à produção agrícola e industrial, inchando as cidades que, sem planejamento, começaram a enfrentar grandes problemas como falta de moradia, emprego e serviços públicos (escolas e hospitais).
B) “Se integrarem no tecido da sociedade” é a frase que traduz todo o sentido do texto, relacionado à falta de trabalhadores nas indústrias de confecções - Isto ocorre ora por falta de qualificação, ora pela falta de mão de obra, comum em todas as áreas e em todos os grandes centros urbanos do mundo.
C) A especulação imobiliária que prejudica, principalmente, os pobres - Com o aumento do valor dos aluguéis, uma das alternativas é a fixação em áreas impróprias para habitação, como morros e fundos de vale, promovendo o surgimento de submoradias. Ou seja, o foco do trecho corresponde à construção de novas habitações.
D) A marginalização dos menos favorecidos, referenciados com "pobres" no texto - As práticas discriminatórias ficam evidentes em abordagens policiais, no acesso a alguns lugares e nas relações cotidianas. Como exemplo, pode-se citar o estigma vivido pela população de certas comunidades (favelas), generalizada no texto, e tratada como constituída apenas por bandidos e traficantes.
E) A inclusão social dentro do cenário urbano, sendo que a urbanização é um processo praticamente irreversível - O trecho aborda a inclusão das camadas sociais menos favorecidas das cidades, ou seja, tratando-os como cidadãos e não como forasteiros.







quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

CURSO OPÇÃO - CONCEITOS DE URBANIZAÇÃO


 2º ANO REC. FINAL 

CONCEITO - URBANIZAÇÃO


DEFINIÇÃO E CONCEITO SOBRE URBANIZAÇÃO


Processo de crescimento da população urbana mais rápido que o crescimento da população rural. Causa processo de industrialização que acelera o êxodo rural.

a) Rede urbana: É formada pelas relações políticas, econômicas e culturais que as cidades estabelecem em um determinado espaço geográfico, as quais são  interligadas umas as outras através dos sistemas de transportes e de comunicações, pelos quais fluem pessoas, mercadorias, informações, etc."


Rede Urbana


Sistema de relações políticas, econômicas e culturais que as cidades estabelecem em um determinado espaço geográfico.

Subordinação do campo e de pequenas cidades à Metrópole.

Para milhares de cidades pequenas, há poucas metrópoles.

Quanto maior o desenvolvimento do capitalismo, mais densa e integrada é a rede urbana.


b) Hierarquia urbana: Corresponde a influência que exercem as cidades maiores sobre as menores. O IBGE identifica no Brasil a seguinte hierarquia urbana: metrópole nacional, metrópole regional, centro submetropolitano, capital regional e centros locais.


c) Conurbação: Corresponde ao encontro ou junção entre duas ou mais cidades em virtude de seu crescimento horizontal. Em geral esse processo dá origem a formação de regiões metropolitanas.


d) Metrópole: Corresponde a conurbação entre duas ou mais cidades onde uma delas assume o fato de ser a  cidade principal ou cidade-mãe, ou seja,  a cidade que possui os melhores equipamentos urbanos do país (metrópole nacional), ou de uma grande região do país (metrópole regional)".  


e) Região metropolitana: Corresponde ao conjunto de municípios conurbados a uma metrópole e que desfrutam de infraestrutura e serviços em comum.


f)  Megalópole: Corresponde a conurbação entre duas ou mais metrópoles ou regiões metropolitanas. As principais megalópoles do mundo encontram-se em países desenvolvidos.


METROPOLIZAÇÃO E MEGALÓPOLE


A metropolização surge com a Revolução Industrial, marcando a concentração espacial da produção capitalista.

Metrópole: cidades de grande importância econômica, cultural e política (serviços especializados).

Megalópole: espaços articulados, com grandes áreas urbanizadas, polarizados por metrópoles.

Integração econômica entre as áreas.

No Brasil temos a megalópole Rio-São Paulo, localizada no sudeste brasileiro, o elo de ligação dessa megalópole é a Via Dutra, estrada que  interliga as duas cidades principais.


AS PRINCIPAIS MEGALÓPOLES MUNDIAIS


Bos-Wash: Washington, Baltimore, Filadélfia, New Jersey, Nova Iorque e Boston.

Tóquio-Osaka (ou Tokkaido): Tóquio, Nagóia, Kobe, Kioto e Osaka.

Chi-Pitts: Cleveland, Detroit, Chicago, Pittsburgh.


g) Megacidade: Corresponde aos centros ou aglomerações urbanas com mais de dez milhões de habitantes.

No Brasil São Paulo e Rio de Janeiro estão nessa  categoria.

Aglomerações urbanas com mais de 10 milhões de habitantes.

2015 apenas Tóquio, Nova York e Los Angeles serão megacidades de países ricos na lista das 15 maiores aglomerações do mundo.

300 cidades atuais têm mais de 1 milhão de hab.

20 cidades atingiram a marca de 10 milhões de habitantes ou mais.


h)Técnopolo: Corresponde a uma cidade tecnológica, ou seja, locais onde se desenvolvem pesquisas de ponta.


i) Cidade global: são as cidades que polarizam o país todo e servem de elo entre o país e o resto do mundo, Possuem o melhor equipamento urbano do país.

Concentram as sedes das instituições que controlam as redes mundiais (multinacionais), As cidades mundiais estão mais associadas ao mercado mundial do que a economia nacional.

Cidades que contêm centros de decisões de âmbito global, ou seja, cidades que comandam o processo de globalização.

Sede de transnacionais com grandes centros financeiros e geração de tecnologia de ponta.

As cidades globais são interligadas: “arquipélago metropolitano”.


CONSEQUÊNCIAS DA URBANIZAÇÃO


São mais graves nos países pobres.

Falta de políticas agrícolas.

 Falta de investimentos em infraestrutura urbana.

Geração de todo tipo de contradição urbana, tais como: degradação ambiental, tráfego congestionado, violência, poluição, lixo, etc.


DESIGUALDADES


No início do século XIX 8% da pop. mundial residia em cidades.

Atualmente essa porcentagem subiu para 50%.

Processo antes restrito aos países industrializados, espalha-se pelo mundo juntamente com as transnacionais.

América Latina: 80% de urbanização em 2015.

Taxas baixas não significam pequena população urbana: A China possui 45% da população residindo em cidades (630 milhões de pessoas).


METROPOLIZAÇÃO E MEGALÓPOLE


A metropolização surge com a Revolução Industrial, marcando a concentração espacial da produção capitalista.

Metrópole: cidades de grande importância econômica, cultural e política (serviços especializados).

Megalópole: espaços articulados, com grandes áreas urbanizadas, polarizados por metrópoles.

Integração econômica entre as áreas.


MEGALÓPOLE BRASILEIRA


Junção da grande SP com a grande RJ: o Complexo Metropolitano do Sudeste.

Nesta área vivem 20% da população brasileira (35 milhões de pessoas).

Área em processo de conurbação ao longo da Via Dutra (BR-116).

Abrange regiões com o Vale do Paraíba e de Campinas, Santos e Volta Redonda.


URBANIZAÇÃOE POBREZA NO SUL - PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS


Países subdesenvolvidos: aprofundamento da urbanização no pós II Guerra Mundial.

Papel das transnacionais.

Essa urbanização acelerou a metropolização, ocorrendo o processo de conurbação.


CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS


Causas: processo de industrialização e êxodo rural.

Consequências: crescimento urbano rápido e desordenado; caos infra-estrutural; esgoto; água; etc.

Segregação espacial: favelas e bairros nobres e condomínios fechados;

Hipertrofia urbana;

Poluição, marginalização, criminalidade, trânsito, enchentes, etc.


OS PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS:


Poluição (ar, solo, visual, águas, sonora);

Resíduos sólidos (lixo) - grande concentração populacional e industrial e política pública ineficiente no tratamento.

Esgoto – grande concentração populacional e industrial e política pública ineficiente no tratamento.

Enchentes – impermeabilização do solo

Inversão térmica - queima excessiva de combustíveis fósseis.

Ilhas de calor – grande quantidade de prédios, asfalto, grande fluxo de carros, má circulação de ventos.

Chuva ácida - queima excessiva de combustíveis fósseis.


AS CAUSAS DOS PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS:


Revolução industrial (industrialização);

Capitalismo e globalização (Consumismo);

Urbanização (crescimento das cidades);

Aumento populacional (7 bilhões de habitantes no mundo);

Ineficácia da política de Educação Ambiental.

DESEMPREGO
O desemprego se divide em dois tipos fundamentais:
a) Desemprego conjuntural: que é aquele que está ligado a conjunturas de crise econômica, nas quais a oferta de empregos e os postos ocupados diminuem.
b) Desemprego estrutural ou tecnológico: que está ligado a estrutura produtiva, e aos avanços tecnológicos introduzidos na produção, em substituição da mão de obra humana, como o que é gerado pela robótica.
SUBEMPREGO
O trabalhador trabalha na maioria das vezes em condições  precárias, ganha baixíssimos salários e não tem nenhuma garantia legal.
Esse tipo de atividade é típico de países subdesenvolvidos como o Brasil, O número de subempregados é enorme, e grande parte da população depende do trabalho dessas pessoas.
SETORES DA ECONOMIA
A economia dos países se divide em 3 setores  formais, pois, contribuem com a arrecadação de impostos, assinam carteira, dentre outras  formalidades legais.
a) Setor primário: que envolve em geral atividades ligadas ao meio rural, como, a agricultura, pecuária, extrativismo
vegetal e a pesca.
b) Setor secundário: que envolve as atividades industriais.
c) Setor terciário: que envolve as atividades do comércio, prestação de serviços, funcionalismo público, produção de tecnologia (tecnopolo), etc.









8º ANO EXERCÍCIO CAPITULO 2


ROTEIRO DE QUESTÕES CAPÍTULO 02 – 8º ANO
01. Em que se baseou as sociedade humanas nos últimos cinco séculos?
02. Como ocorreu o processo de integração das sociedades humanas (países)  nos últimos cinco séculos?
03. Por que o conhecimento geográfico é importante para o homem atualmente?
04. Por que estudar os diversos países dos continentes é uma missão desafiadora?
05. Em que é baseada a regionalização do espaço geográfico?
06. Quem apresenta mudanças mais rápidas, as características naturais (paisagem) ou as características sociais (as sociedades)?
07. Por que a regionalização no planeta é baseada principalmente nas características sociais?
08. Qual era a divisão regional do planeta durante a década de 1970 e 1980? Explique como era formada cada uma das regiões do planeta nesta regionalização.
09. Por que durante a década de 1970 e 1980 o mundo era chamado de bipolar?
10. Por que estudar os países que compõe o planeta é uma atividade desafiadora e complexa?
11. Com o fim da GUERRA FRIA e da ORDEM BIPOLAR no inicio da década de 1990, como foi regionalizado o planeta?
12. Qual o critério de regionalização que estudaremos neste livro, nos próximos capítulos?









































terça-feira, 27 de janeiro de 2015

GLOBALIZAÇÃO


A Globalização
O que é globalização?

 Os norte-americanos usam a expressão globalização, os franceses preferem mundialização e em outras sociedades a expressão usada é internacionalização.
 Estudos teóricos concluíram que o fenômeno da globalização resulta de três aspectos ou forças poderosas: a revolução tecnológica, a interdependência dos mercados financeiros em escala planetária e a formação de áreas de livre comércio. Portanto, a globalização é o processo de integração do espaço mundial caracterizado pelo fluxo intenso de capitais, serviços, produtos e tecnologias entre os países, o que resulta num mundo interligado por transações econômicas que movimentam capitais volumosos.

Quando surgiu a globalização?

 Não há um consenso a respeito. Alguns estudiosos falam dos anos de 1980, quando os governos começaram a implantar o programa econômico neoliberal, abrindo suas portas à entrada do capital e das mercadorias estrangeiras. Outros acreditam que a origem da globalização remonta à segunda metade do século XIX, aproximadamente, quando as grandes economias capitalistas iniciaram a primeira grande onda de investimentos no exterior, inaugurando o que se chamou de imperialismo. Finalmente, para outros estudiosos, a globalização é um fenômeno bem mais antigo, que surgiu com as grandes viagens marítimas dos séculos XV e XVI, a partir das quais exploradores, burgueses e governantes europeus submeteram as terras conquistadas do chamado Novo Mundo à dinâmica da política econômica mercantilista, integrando colônias e metrópoles no comércio mundial.

Quais são os efeitos da globalização?

  O avanço tecnológico, a interligação e a interdependência dos mercados financeiros em escala mundial encurtaram as distâncias, unificaram e baratearam a informação e estão promovendo a padronização da cultura e do comportamento por meio de tevês a cabo, filmes, livros, fluxos migratórios e, mais recentemente, da internet.
  O movimento da globalização tende a criar uma cultura de consumo padronizada por meio de uma estratégia mundialmente unificada de marketing, destinada a uniformizar a imagem dos  produtos aos olhos dos consumidores.
  Sob certos aspectos, o mundo está se tornando uma "aldeia global". Empresas gigantescas estão atravessando as fronteiras nacionais e se instalando em vários países; o avanço tecnológico na área da informática e das telecomunicações tem permitido a agilidade nas transações comerciais e no intercâmbio de informações; a abertura dos mercados nacionais às importações, favorecida por baixas tarifas alfandegárias, deu um grande impulso ao fluxo de mercadorias, fazendo explodir o comércio mundial.
  O processo de globalização provocou também um efeito devastador; o desemprego, que atinge tanto os países subdesenvolvidos da América Latina, Ásia e África como as nações industrializadas da América do Norte, da Europa e da Ásia.
  Na história da formação e consolidação do sistema capitalista, os níveis de desemprego acompanharam as fases de crescimento e de retração econômica, crescendo nos períodos de crise e reduzindo-se logo que a economia dava sinais de recuperação. A partir das últimas décadas do século XX, porém, surgiu uma modalidade de desemprego não decorrente de crises econômicas nem da redução dos investimentos nas atividades produtivas, mas da revolução tecnológica. É o chamado desemprego estrutural.
  O desemprego estrutural resulta do avanço tecnológico, isto é, do aperfeiçoamento do processo da capacidade produtiva das empresas pela aplicação de novas tecnologias e de novas formas de organização do trabalho. Se por um lado essas transformações resultam no aumento de produtividade, por outro reduzem a quantidade de trabalhadores necessários à produção, pois fazem com que muitas funções deixem de existir. Por exemplo: o e-mail, mais ágil e prático, substitui a correspondência tradicional, provocando a extinção de postos de trabalho nos correios.
  No Brasil, como nos demais países subdesenvolvidos, a globalização econômica tem elevado as taxas de desemprego e ampliado a distância entre ricos e pobres.

Conclusão
  O fenômeno da globalização não produziu os mesmos efeitos em todos os países e em todas as camadas sociais. A formação de grandes conglomerados econômicos, o aumento extraordinário do volume de capitais movimentados nas transações financeiras, a livre circulação de mercadorias entre os países e a revolução tecnológica não possibilitaram uma elevação na qualidade de vida da maior parte da população mundial, que inicia o século XXI convivendo com o desemprego, a pobreza e a fome.
20/12/05


acesso: Janeiro de 2015
http://www.historiamais.com/globalizacao.htm